faceralis

 

posvendaclick

ERC

briundia1taliaBruno Magalhães ocupa a sexta posição da tabela classificativa após o final do primeiro dia de prova do Rali de Roma em Itália onde decorre mais uma prova do Campeonato da Europa de Ralis. O piloto português e o seu navegador, Hugo Magalhães sofreram com alguns problemas no entanto, ainda em posição de discutir nos últimos oito troços da prova programados para amanhã, um lugar no pódio.

O dia de hoje não começou da melhor forma mas foi progredindo: "Tivemos alguns problemas de 'set-up' nas primeiras classificativas. Mas, durante a assistência fizemos alterações que resultaram muito bem e os tempos estavam a melhorar. No entanto, na penúltima especial do dia, o carro desligou-se numa recta, tivemos de fazer 'reset' e perdemos muito tempo. Na super-especial continuou a falhar. Ficámos mais longe do pódio", começou por explicar Bruno Magalhães.

No entanto, as expectativas para amanhã mantém-se inalteráveis: "A equipa vai agora trabalhar no carro para perceber qual o problema e solucioná-lo. Amanhã há ainda muito rali pela frente e nada está perdido. Continuamos focados nos lugares do pódio e com a ambição de sair de Itália na frente do Campeonato", concluiu o piloto do Skoda Fabia R5.

O rali pode ser acompanhado em www.fiaerc.com. Hoje pelas 22.00h pode ser visto o resumo do primeiro dia de competição no Eurosport.

brunoitaliaBruno e Hugo Magalhães já estão em Itália onde vão disputar a quinta prova do Campeonato da Europa de Ralis. A dupla portuguesa ao volante do Skoda Fabia R5 da ARC Sport lidera as contas do Campeonato e espera conseguir consolidar a primeira posição de forma a lutar pelo título que lhes escapou em 2017.

O Rali de Roma é conhecido por ser rápido e exigente e que obriga a um 'set-up' funcional para os vários tipos de asfalto que se encontra na prova e para isso Bruno Magalhães teve o dia de ontem para efectuar o primeiro teste: "Foram cerca de 40 quilómetros que ajudaram a encontrar o compromisso base para trabalharmos ao longo da prova. É um rali que exige um 'set-up' que funcione em todos os tipos de piso. Fiquei satisfeito com o trabalho que desenvolvemos hoje", começou por referir.

A prova antevê-se muito disputada para além de integrar o Europeu Júnior vai também contar para o Campeonato Italiano de Ralis que como é sabido é um dos mais conceituados a nível europeu.

Bruno Magalhães sabe que não terá facilidades no entanto, o terceiro lugar conseguido o ano passado abre boas perpectivas: "Acredito que os nossos principais adversários sejam os pilotos italianos, perfeitos conhecedores do figurino da prova. Mas também sabemos do nosso potencial e por isso estamos optimistas e focados no nosso trabalho. Para nós o mais importante são as contas do Campeonato. Gostávamos de reforçar o primeiro lugar e se aliarmos a isso um pódio no final da prova, tanto melhor", concluiu o vice-campeão da Europa de Ralis.

A prova decorre de 20 a 22 de Julho será composta por 15 especiais de classificação e poderá ser acompanhada em www.fiaerc.com. Pelas 22h de sábado e domingo, o Eurosport faz os resumos dia de competição.

brunoO Rali do Chipre é a quarta prova do Campeonato da Europa de Ralis, que se disputa de 15 a 17 de junho. Bruno e Hugo Magalhães vão estar à partida da prova cipriota depois de um vitória brilhante no rali da Grécia.

Para o confronto que agora se avizinha, e ciente da qualidade dos pilotos inscritos e da exigência da prova, a dupla do Skoda Fabia R5 da ARC Sport traça como meta um dos lugares do pódio. Se aliado a isso conseguirem reduzir a diferença pontual para os líderes do campeonato, tanto melhor.

Bruno já teve oportunidade de testar a sua máquina percorrendo cerca de 50 quilómetros nos difíceis pisos do Chipre: "Esta é uma prova muito particular. Disputa-se maioritariamente em terra mas tem 30% de troços em asfalto, o que obriga a um compromisso em termos de afinações mais exigente e difícil de encontrar. Apesar do teste ter corrido bem e de termos uma boa base, há ainda muito trabalho para fazer. Temos de ser muito criteriosos nas escolhas e na estratégia que iremos adoptar e procurar não cometer erros", explicou o piloto português.

Bruno Magalhães já foi bem sucedido em anos anteriores nesta prova, no entanto, o ano passado, teve uma saída de estrada que obrigou ao abandono: "Vamos querer contrariar o resultado de 2017. Coloca-nos um pouco mais de pressão, mas acaba por funcionar como motivação. Queremos vingar esse resultado e chegar aos lugares do pódio. É com esse foco que vamos começar o rali e acredito que vamos conseguir", concluiu o vice-campeão europeu de ralis.

O Rali do Chipre será composto por cerca de 240 quilómetros de especiais cronometradas num total de 13 troços. Vai para estrada no sábado e poderá ser acompanhado em www.fiaerc.com ou na app rally4now. Os resumos dos dias de competição podem ser vistos no Eurosport no sábado às 21.30h e no domingo às 22h.

 

aloisioromaAloísio Monteiro regressa já na próxima semana à competição, participando no Rali de Roma, quinta prova do Campeonato Europeu de Ralis. Nesta que é a sua terceira participação em provas do ERC este ano, e depois das bem-sucedidas passagens pelo Rali dos Açores e Rali da Acrópole, o portuense está confiante numa boa prova, uma vez que rali marca a estreia do asfalto na edição deste ano da competição, terreno onde o piloto do Skoda Fabia R5 se sente mais confortável.

"Estamos de volta ao ERC, cumprindo com os objetivos que nos propusemos desde o início da temporada junto dos nossos parceiros. As duas provas em terra foram muito proveitosas em termos de aprendizagem e agora voltamos em asfalto, terreno onde nos sentimos mais confortáveis. Os testes realizados correram bem e estamos confiantes numa melhoria dos resultados, embora não exista qualquer pressão", começou por destacar o piloto portuense antes de lembrar que: "esta é mais uma prova que não conhecemos e temos de trabalhar arduamente desde os reconhecimentos para conseguir ter um bom ritmo em prova".

Neste evento, Aloísio Monteiro será navegado por Sancho Eiró devido aos compromissos profissionais do seu habitual navegador, André Couceiro. A dupla Aloísio Monteiro/Sancho Eiró não é uma novidade, sendo esta a 14.ª prova que a dupla cumprirá em conjunto. "Ser navegado pelo Sancho não é novo e será apenas o retomar de uma parceria que começou em 2015. Infelizmente o André não pode estar presente e penso que esta seja a escolha acertada para este momento. O Sancho é um excelente navegador e vai com toda a certeza entrar no ritmo rapidamente", explicou Aloísio Monteiro.

O Rali de Roma tem início no próximo dia 19 de Julho com a realização dos treinos livres, Qualifying Stage e Shakedown. Nos três dias seguintes, a dupla Aloísio Monteiro / Sancho Eiró terá pela frente um total de 967,12km, 205,97km dos quais ao cronómetro, divididos por quinze especiais.

grecia bm18Bruno Magalhães conseguiu hoje uma brilhante e impar vitória no Rali da Acrópole, terceira prova do Campeonato da Europa de Ralis. O piloto português e o seu navegador, Hugo Magalhães conseguiram fugir às armadilhas de uma das provas mais exigentes e mediáticas e alcançaram um feito notável para o automobilismo português. Foi a primeira vitória da época e a primeira vitória portuguesa à geral na Grécia.

Os três dias de rali e as traiçoeiras classificativas colocaram os pilotos à prova com Bruno Magalhães a sair ileso, troço após troço, tendo adoptado a melhor estratégia num rali em que o mínimo erro pode ser fatal. Depois de ontem ter terminado o dia confortavelmente na frente, as quatro classificativas de hoje foram feitas com ansiedade e cautelas redobradas para terminar a prova com 29,1 segundos e vantagem para o segundo classificado.

No final Bruno e Hugo Magalhães não escondiam o estado de êxtase: "É um sonho tornado realidade. Uma felicidade enorme por termos conseguido este magnifico resultado numa prova como esta que está no imaginário de todos. Superámos o segundo lugar conseguido o ano passado, diminuímos significativamente a diferença para o líder do Campeonato e estamos na luta pelo título. Era impossível correr melhor. Foi uma verdadeira loucura e o dia de hoje foi muito difícil: tínhamos muita pressão, sabíamos que não podíamos errar. Acho que é uma vitória histórica para mim mas também para Portugal e dedico-a a toda a equipa que sempre deu o seu melhor para garantir que o carro aguentava a dureza das classificativas, à minha família que me apoia incondicionalmente mas sobretudo, aos patrocinadores, que continuam a apostar e a acreditar na minha carreira", explicou o vice-campeão europeu.

Regressados às vitórias a dupla do Skoda Fabia R5 da ARC Sport esperam agora poder dar continuidade ao projecto e lutar pelo título que lhes escapou em 2017: "Precisávamos muito deste resultado, mostrámos o nosso valor e as nossas qualidades. Agora, queremos seguir em frente e discutir as vitórias prova a prova", concluiu Bruno Magalhães confiante no futuro no Europeu de Ralis.